Carta aos pais, mães e familiares dos bebês, crianças e jovens das escolas da rede municipal de Juiz de Fora e das Instituições Parceiras - Associação Municipal de Apoio Comunitário

Carta aos pais, mães e familiares dos bebês, crianças e jovens das escolas da rede municipal de Juiz de Fora e das Instituições Parceiras

A ideia de escrever uma carta, inicia-se como uma forma de conversa nesse tempo de suspensão das atividades escolares motivada pela chegada da COVID-19, no mundo e no Brasil, e um modo que encontramos para dizer: ESTAMOS JUNTOS.
 
Sabemos que a campanha #FIQUE EM CASA é difícil para todos e todas, porque dificulta as nossas rotinas de trabalho, escola e de todas as ações de convívio social. Foi difícil também para nosso prefeito, Dr. Antônio Almas, tomar a decisão de criar decretos suspendendo muitas atividades na cidade, inclusive as escolares.
 
Mas nós acreditamos na importância dessa decisão e do cumprimento a essa palavra de ordem #FIQUE EM CASA, porque é a maneira mais cuidadosa de dizer a todos e todas que precisamos nos proteger para que, depois de tudo isso, fiquemos bem, com saúde, e com muita energia para continuar partilhando ações do cotidiano sustento físico, afetivo e emocional de que tanto necessitamos.
 
Pois bem, sabemos da dificuldade desse momento. Sabemos que a escola está fazendo falta porque nela acontece algo muito especial, para além da aprendizagem de conteúdos importantes para a vida e para os estudos: nela acontece convivência, interação, troca de conhecimentos e aprendizagens entre pares, e com os professores e professoras, que são INSUBSTITUÍVEIS.
 
Assim pensando, gostaríamos de dizer que seria muito importante que cada família pudesse se dedicar, em algum momento, nesse período de isolamento social, à pratica de algumas ações que possam ajudar aos bebês, às crianças e aos jovens nas suas aprendizagens. Falamos de coisas simples, mas que podem ser muito importantes para a continuidade das atividades escolares quando do retorno às aulas:
 
Ter um olhar e escuta atentos aos bebês e às crianças nas suas diferentes linguagens (por meio do choro, do gesto, dos movimentos, da fala) e responder às suas necessidades e desejos, fortalecendo os laços afetivos e criando a atenção compartilhada;
 
Ter um olhar e escuta atentos aos jovens, procurando praticar algumas ações em parceria, quer seja na vida doméstica, com os irmãos e irmãs menores e nos diálogos sobre a situação da COVID_19 que estão acontecendo no Brasil e no mundo.
 
Envolver as crianças menores a participarem das atividades da casa, com segurança e sob a supervisão de um jovem ou adulto;
 
Compartilhar narrativas e histórias sobre avós e familiares antigos, sobre acontecimentos do cotidiano e trazer também aquelas que chegam até nós pelos livros de literatura (muitas estão disponíveis na internet)
 
Cantar, brincar e explorar os espaços internos e externos da casa, na relação entre as pessoas e os objetos.
 
Construir rotinas com momentos destinados à alimentação, higienização, e descanso;
 
Evitar expor bebês e crianças na frente das telas, como computador, celular, tablet, iPad e TV. Tais equipamentos comprometem a saúde e o desenvolvimento psicomotor dos pequenos.
 
Orientar os jovens ao uso da internet e buscar aprender com eles sobre as possibilidades de acesso ao conhecimento e a cultura que os equipamentos como celular, tablet, iPad oferecem.
 
Disponibilizar o contato virtual com os profissionais da escola para dialogar, para trocar ideias e se reconhecer como parte daquela instituição;
 
Redobrar os cuidados de higiene e investir nos ensinamentos do autocuidado;
 
Conversar sobre o que está acontecendo nesse momento, explicando o motivo pelo qual não está frequentando a escola, a casa dos familiares e amigos. Garantir que é por um determinado tempo e que em breve tudo VAI PASSAR.
 
LER, LER E LER: livros, folhetos, revistas, regras de jogos, cartas e mensagens de esperança que se encontram disponíveis e diferentes meios de comunicação.
 
Aqui estamos nós, pensando nos senhores e nas senhoras, nos seus filhos e filhas, nas creches e em todos e todas que nela trabalham.
 
Esperamos, de fato, que CADA UM CUMPRA A SUA PARTE PARA QUE SEMPRE SEJAMOS MELHOR JUNTOS .
 
#FIQUE EM CASA
 
Secretaria de Educação de Juiz de Fora, outono de 2020


 

Serviço de Creches

Assine nossa Newsletter